A construção do sobrenatural no conto “A mancha” de Mia Couto

Anita Martins Rodrigues de Moraes, Juliane Paula Santos do Nascimento

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar o conto “A mancha”, de Mia Couto (publicado em Cronicando). Nessa narrativa, diversas concepções de realidade são mobilizadas pelo autor para que se trate da brutal guerra civil moçambicana. Para nos aproximarmos dessa estratégia de composição, recorreremos a conceitualizações em torno da narrativa fantástica e do realismo maravilhoso. Em seguida, deteremo-nos na análise do texto coutiano buscando evidenciar como o escritor recorre ao sobrenatural para lidar com o desafio de representar uma guerra civil.

Palavras-chave


iteratura Moçambicana; Mia Couto; fantástico; realismo maravilhoso

Texto completo:

PDF

Referências


BIAZETTO, Flávia Cristina Bandeca. Histórias de guerra: uma leitura de crônicas de Antônio Lobo Antunes e Mia Couto. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

CHIAMPI, Irlemar. O realismo maravilhoso. São Paulo: Perspectiva, 1980.

COUTO, Mia. Cronicando. Lisboa: Editora Caminho, 1993, 2º edição.

___________. Moçambique – 30 anos de Independência: no passado, o futuro era melhor? Via Atlântica, São Paulo, nº 8, p.191-204, 2005.

___________. Vozes Anoitecidas. Lisboa: Editora Caminho, 1999, 5º edição.

RODRIGUES, Selma Calasans. O Fantástico. São Paulo: Editora Ática, 1988.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.