ATITUDES RESPONSIVAS NO GÊNERO RELATO DE EXPERIÊNCIA VIVIDA

Virginia Maria Nuss, Cláudia Valéria Doná Hila

Resumo


Este trabalho tem por objetivo discutir a responsividade de alunos do ensino médio na produção do gênero relato de experiência vivida, norteado pelos pressupostos da Análise Dialógica do Discurso (BAKHTIN, (2011, 2004), e por estudiosos brasileiros como Geraldi (2007), Menegassi (1998; 2010), entre outros. Foram analisados textos de alunos do Ensino Médio de escolas públicas do noroeste do Paraná e suas respectivas reescritas após orientação das professoras. Os textos foram coletados de turmas que participaram das aulas realizadas pelas professoras do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), em período de contra turno de escolas estaduais, nas quais as oficinas tinham como proposta o ensino de gêneros com a abordagem interacionista de reescritas textuais. O artigo discute se os alunos demonstram uma adequada/esperada às solicitações feitas pelas professoras na correção dos textos em questão. Como resultado, foi possível observar que a responsividade dos alunos constitui-se em um fator essencial não apenas para compor o processo de revisão do texto em conjunto com o processo de reescrita, mas, sobretudo, como demonstração da capacidade reflexiva e crítica destes alunos acerca de seus próprios usos linguísticos. Dessa forma, pode-se entender que a responsividade ocorreu não apenas entre o aluno e professor, mas também do aluno para ele próprio, por meio de um processo reflexivo.


Palavras-chave


Responsividade. Reescrita. Gênero textual.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 6 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011, pgs. 90 - 127.

BAKHTIN, M.; VOLOCHINOV, V. N. Marxismo e filosofia da linguagem. 11a ed. São Paulo: Hucitec, 2004, pgs.261 - 306.

_____. Discurso na vida e discurso na arte: sobre poética sociológica. 1926.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed.-SãoPaulo:Atlas,2002. Disponível em: Acesso em 06/2015.

HILA, C.V.D. Ferramentas curso de formação e sequência didática :contribuições par ao processo de internalização do estágio de docência de língua portuguesa. Tese (Doutorado em Letras). Londrina: UEL, 2013;

GERALDI, J. W. Portos de passagem. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997 (texto e linguagem)

MENEGASSI, R J. O leitor e o processo de leitura. In: GRECO, Eliana Alves; GUIMARÃES, Tânia Braga (Orgs.). Leitura: compreensão e interpretação de textos em Língua Portuguesa. Maringá: EDUEM, 2010, p.35-59.

MENEGASSI, R.J. Da revisão à reescrita: operações e níveis lingüísticos na construção do texto. Assis, SP. Tese de Doutorado. Faculdade de Ciências e Letras de Assis, Universidade Estadual Paulista, 1998, 228 p.

_________. Da revisão à reescrita: operações lingüísticas sugeridas e atendidas na construção do texto. Mimesis, Bauru, v. 22, n. 1, p. 49-68, 2001. Disponível em: acesso em 06/2015

SERAFINI, M.T. Como escrever textos. 7a. ed.São Paulo: Globo, 1994.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.