COMPLEXO ASCHENBACH-TADZIO: O LUGAR DOS JOVENS NO CONTEXTO SOCIAL BRASILEIRO

Carlos Henrique Teixeira

Resumo


O objetivo deste artigo é tratar da participação da juventude no imaginário sócio-político-organizacional brasileiro. Leva-se em conta a negação direta de suas forças latentes juvenilizantes e de sua repressão, o que ajudou no surgimento de um complexo temerário da participação dos jovens no seio da sociedade organizada. A partir de autores ligados a antropologia do imaginário considera-se a confluência dos mitos que conduziram a história política brasileira, bem como a inserção das temáticas juvenis em seu meio.

Palavras-chave


uventude; Imaginário; Participação; Mito

Texto completo:

PDF

Referências


DURAND, G.. La notion de bassin sémantique. In: Introduction à la mythodologie. Mythes etsociétés. Paris: Albin Michel, 1996.

MANN, T. Morte em Veneza. Tradução: Maria Dellireg. São Paulo: Hemus, 1976.

MORIN, E. La méthode I – La nature de la nature. Paris: Éditions du Seuil, 1977.

PAULA CARVALHO, J. C. Antropologia das organizações e educação: Um ensaio holonômico. Rio de Janeiro: Imago, 1990.

RASIA, J. M. Morte em Veneza: desejo e interdição. In: Revista Letras, Curitiba, n. 55, p. 55-77, jan./jun. 2001.

SIRONNEAU, J. P. Retorno do mito e do imaginário sócio-político e organizacional. In: Revista da Faculdade de Educação (USP), 11 (1/2): 257-273, 1985.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.